O RADIO QUE SUSSURAVA SEGREDOS.

1 1 1 1 1 Rating 5.00 (2 Votes)


Para compartilhar nas redes sociais, clique aqui:

Caminhando pelas ruas da cidade histórica de Tiradentes no Estado de Minas Gerais, encontrei em uma loja de coisas usadas um antigo radio de madeira, provavelmente fabricado no inicio dos anos 20, era todo de madeira, lindo de se ver, eu estava atraído por aquela velharia, perguntei se ainda funcionava e o dono ligou para que eu pudesse conferir. Só de ouvir aquele sinal de estática tive a certeza que o levaria, ele sintonizou em uma radio local antiga, onde dois locutores anunciavam que a próxima canção era uma musica antiga de Sergio Reis.
Paguei o preço pedido sem pedir nenhum desconto e segui o meu caminho.
Só voltei a ligar o radio uma semana depois, três dias após voltar para o Rio de Janeiro.
Sintonizei a estação antena 1,conhecida por tocar antigas canções, sentei no sofá, beberiquei minha lata de cerveja e fiquei pensando na vida, o relógio marcava 20:00 horas, minha esposa deveria estar em casa as 19:30,meia hora de atraso o que será que ela esta fazendo?
Perdido em meus pensamentos pude ver minha esposa na cama com outro homem, os dois suados, ela parecia sentir muito prazer.
Enraivecido joguei minha garrafa de cerveja na parede, foi quando a musica que tocava na radio parou e eu puder ver o radio procurando sozinho uma nova estação, aquele barulho de estática ia aumentando e diminuindo à medida que o seletor fazia sua dança em procura de uma nova estação, parou exatamente após a 102,9, e uma voz que parecia muito com a minha começou a narrar o que minha esposa fez naquele dia, segundo a voz o atraso da minha esposa era consequência de um relatório que ela tinha que entregar aquele dia, mas que ela já estava a caminho de casa.
Cinco minutos após a revelação que o radio fez ela entrou pela porta bufando, reclamando do chefe, que a fez ficar até mais tarde sem hora extra.
Apenas olhei para aquele radio e sorri, meus problemas haviam acabado.
Demorei a entender como o radio funcionava, mas com o tempo aprendi que eu deveria pensar em alguma pessoa e fazer a pergunta sobre essa pessoa que o radio me responderia.
Terminei com amizades falsas por causa disso, consegui uma promoção no trabalho descobrindo os segredos mais sujos do meu chefe e o chantageando, a medida que eu usava o radio mais tempo precisava passar com ele,eu estava viciado nele, não conseguia dar um passo sem consulta-lo antes, minha esposa começou a estranhar meu comportamento, mas obviamente não contei a ela porque eu não desgrudava daquele radio, ela ainda estava sobre investigação eu ainda não confiava nela.
Certa noite acordei com os gritos dela. Me levantei da cama e corri até a sala, ela estava encolhida no canto, ela chorava, parecia bastante assustada, perguntei o que tinha acontecido e com dificuldade ela fez o seguinte relato: -Me levantei para ir ao banheiro, e quando estava passando próximo ao radio ele ligou sozinho e começou a tocar uma musica que me lembrava um canto gregoriano, quando me aproximei para desliga-lo vi uma coisa agachada com a mão sobre o radio.
Ao me aproximar a coisa se levantou, era uma mulher alta, muito alta mesmo, passava dos dois metros facilmente, vestia um vestido branco encardido que deixava apenas seus pés a mostra, seu cabelo era preto, comprido e sujo.
A mulher aparecia e sumia, quando tentei sair da sala ela se virou para mim,o rosto pálido, as pálpebras amareladas, escancarou a boca cheia de dentes e de lá de dentro era possível ouvir o som de estática.
Fui até a sala e não vi nada de estranho, minha esposa ainda chorando queria que eu me livrasse do radio, para acalma-la disse que de manhã resolveria a situação.
Assim que minha esposa foi para o trabalho decidi me livrar do radio, me aproximei, repousei minha mão em cima dele, me desfazer dele parecia mais difícil do que imaginei, quando finalmente tomei minha decisão automaticamente o radio ligou liberando no ar aquele som de estática, a diferença para as outras vezes, é que dessa vez eu não havia pensado em nenhuma pergunta, o radio foi passando pelas estações até parar na estação de sempre, em seguida a voz que era tão parecida com a minha surgiu fazendo ecoar pela sala a seguinte mensagem: - Você acha mesmo que sua esposa viu algum fantasma nessa sala? – Ela sabe o que eu posso fazer, e quer que se livre de mim o quanto antes, ela planejou um encontro para hoje, se você ligar para o trabalho dela ela não estará lá. Sua esposa é uma putinha, livre-se dela!
Enfurecido soquei o radio varias vezes fazendo o cair no chão.
Onde ela está? Gritei varias vezes para o radio caído sem obter resposta.
Liguei para o trabalho dela, mas fui informado que ela estava realizando um serviço externo, liguei para o seu celular, apenas dava desligado.
Inquieto sai de casa e dirigi pela cidade em sua procura sem ter sucesso, quando voltei para casa o radio estava no lugar habitual,eu não lembrava de tê-lo tirado do chão, ao passar pela porta a canção blackberry Jam da banda Tactile Gemma começou a tocar, em sincronia perfeita com os teclados mórbidos da musica tive a visão da minha esposa dançando com um homem muito parecido comigo , ele possuía chifres na cabeça e me encarava com um olhar maldoso, enquanto deslizava suas mãos pelas costas da minha esposa e apertava suas nadegas.
Corri até o radio e o arremessei no chão com toda a minha força fazendo o quebrar, ainda pisei em seus pedaços para aumentar o estrago.
Sentei no sofá e fiquei bebendo esperando minha esposa chegar.
Ela chegou no horário habitual a segurei pelo cabelo e perguntei onde ela estava assustada ela disse no trabalho.
Puto com a mentira a soquei na boca do estomago e a joguei no chão.
-Mentira! Gritei.
-Eu estava em um serviço externo! Balbuciou ela.
A soquei repetidas vezes na cabeça, até transformar seu rosto em uma massa disforme.
Ela estava morta. Eu estava feliz. O silencio foi cortado pelo som da musica We are the champions da banda Queen.
O radio estava intacto mais uma vez, nem parecia que eu o tinha quebrado em pedaços.
Larguei o corpo morto da minha esposa no chão e caminhei até o radio, o beijei carinhosamente e sussurrei:- Você é o meu verdadeiro amor!
Fui para o quarto e no caminho chutei o corpo da minha esposa, deitei na cama e adormeci rapidamente.
Acordei no meio da noite e me assustei ao me virar de lado e dar de cara com o cadáver da minha esposa deitado na cama, ela me encarava com aquele olhar morto.
Saltei da cama e da porta do meu quarto olhei para a sala o cadáver dela não estava mais no chão, em seu lugar só havia uma possa de sangue.
Olhei novamente para a cama e minha esposa agora estava sentada na cama me encarando com aquele olhar morto, dos seus olhos escorriam lagrimas de sangue.
Ela levantou a cama e começou a caminhar em minha direção, assustado sai correndo do quarto, mas ela como em um passe de magica apareceu na minha frente e segurou o meu pulso esquerdo com suas mãos geladas, soltei um grito e a empurrei contra a parede.
No radio o barulho de estática estava alto em um nível absurdo de doer os ouvidos atrás do radio estava à mulher alta que minha esposa disse ter visto.
Fui em direção à porta, mas estava trancada, minha esposa e a mulher alta se aproximavam de mim, a mulher alta possuía um sorriso estampado no rosto.
Corri em direção à janela e me joguei com toda a minha força para fora, me cortei todo, mas consegui sair da casa corri até não aguentar mais.
Parei em um bar e todos me olhavam eu estava muito machucado, não demorou muito e dois policias se aproximaram de mim, contei minha historia e fui preso assim que os policias acharam o corpo da minha esposa.
No dia seguinte minha historia estava nos jornais: MONSTRO MATA ESPOSA A SOCOS POR CIUME.



Para compartilhar nas redes sociais, clique aqui:

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

© Contos de Terror - Letras de Sangue | Design by: LernVid.com