Fuja Do Contexto

1 1 1 1 1 Rating 5.00 (1 Vote)


Para compartilhar nas redes sociais, clique aqui:

 

Minha idéia aqui hoje é mostrar mais uma dica para cutucar a criatividade. Afinal, todo escritor passa por aquelas fases em que a musa sai pra detonar o cartão de crédito no shopping e ele fica ali, sem inspiração nem para preencher cartela de bingo.

Então, lá vai a dica:

"PEGUE FRASES OU TEXTOS PECULIARES E RETIRE-OS DE SEU CONTEXTO ORIGINAL."

Talvez a dica acima não tenha ficado muito fácil de entender, mas calma que eu tenho exemplos que vão deixar a ideia clara como cristal.

Quando eu escrevi "Espírito Sem Luz" (ah, vamos, um merchansinho não faz mal a ninguém...rs), tomei como referência uma história do Zeca Pagodinho, onde ele contava de um conhecido dele que, ao descer sem pagar de um ônibus, acabou derrubando um artista de rua que se apresentava usando pernas de pau. Ao cair, o artista gritou "oh, espírito sem luz". Esta história está no primeiro Acústico MTV Zeca Pagodinho.

Pois bem, o que fiz foi usar a tal frase "espírito sem luz" fora do contexto usado pelo tal artista de rua da história do Zeca. Se na frase dele era uma forma sofisticada de ofender o sujeito que o derrubou, colocando-o como uma pessoa de baixo nível e pouca educação, eu já pensei assim: o que seria realmente um "espírito sem luz"? Fiquei anos com essa expressão guardada na minha lista de possíveis bons títulos.

Tempos depois, eu queria escrever um conto onde houvesse um bom relacionamento entre irmãos, diferente dos outros que havia escrito – quem acompanha meus textos sabe bem que relacionamento entre irmãos pra mim é um prato cheio pra se criar histórias de terror. A própria Bíblia já começa com Caim matando Abel...

Eu queria uma história curta, em duas partes, em que uma irmã parecesse estar fazendo algo ruim, mas na verdade estivesse salvando seu irmão. E era só o que eu tinha da tal história. Mais nada. Foi aí que a lista de possíveis bons títulos me ajudou de novo.

Quando vi na lista "Espírito Sem Luz", eu gritei "eureca!" Ainda demorou um pouquinho para a história ficar pronta na minha cabeça. Eu consultei minha lista de manhã, mas só consegui escrever a história à noite. Mas, sem essa historinha engraçada do Zeca Pagodinho, este conto de terror simplesmente não teria existido.

Algo parecido também aconteceu quando escrevi "Assina Teu Nome Em Meu Coração". Aqui, eu peguei o refrão da música do Terence Trent D' Arby e pensei: "e se um psicopata levasse essa frase ao pé da letra?"

Tem outros exemplos, mas acho que ninguém aguenta tanto merchan, né?...rs. E acredito que a dica já ficou clara para você, caro colega escritor.

Dá uma olhadinha lá nos contos e me diz: o que achou? Ficou bom? Ou não? E este post, foi legal, valeu a pena? Deixe o seu comentário: sua opinião é sempre muito importante.

Um BIG abraço e bons pesadelos!



Para compartilhar nas redes sociais, clique aqui:

Adicionar comentário

Código de segurança
Atualizar

Comentários   

0 # Gênio do Colorado 10-01-2014 20:03
Achei bastante interessante, Sim eu li.
É uma ideia boa.
É algo simples (não que seja ruim por isso) e criativo.
Responder | Reportar ao administrador
0 # Edson Tomaz da Silva 13-01-2014 11:03
Oi, Gênio!

Fico feliz que tenha gostado do post. Tem outros mais na categoria Redação & Criatividade. Acredito que vá gostar deles também.

Um BIG abraço e bons pesadelos!
Responder | Reportar ao administrador

© Contos de Terror - Letras de Sangue | Design by: LernVid.com